domingo, 24 de janeiro de 2010

A RELATIVIZAÇÃO DA FAMA























_No futuro, todo mundo terá seus 15 minutos de fama.
Andy Warhol


Quano Andy Warhol proferiu a frase acima, não imaginava que a mídia mudaria tanto, que mesmo aquilo a que chamamos fama (a tão almejada deusa grega) passaria por profundas modificações. Na época de Warhol, a fama tinha seu espaço nas revistas, nos jornais, no rádio, no cinema e, acima de tudo, na televisão. Isso a tornava inacessível para a esmagadora maioria das pessoas. Você tinha de "merecer" ou "conquistar" seu espaço na mídia, para poder ser famoso.
A partir do nascimento da Internet, isso mudou dramaticamente. A nova mídia, feita de forma direta por qualquer pessoa, criou novos pop stars, que existem apenas nela _como a modelo erótica norte-americana Tawnee Stone http://www.tawneestone.com/, a musa dos internautas dos anos 2000, lançada pela empresa Lightspeed, em 2001. A Net também cria "famosos comuns", pessoas que, em um espaço restrito _blogs, comunidades do Orkut, etc... _são conhecidas por várias pessoas no Brasil e no mundo (exemplo brasileiro: a escritora gótica Me Morte, que tornou-se conhecida no Brasil inteiro a partir de seu blog: Vale das Sombras http://valedassombrasmemorte.blogspot.com/ e por sua imagem fake de mulher ninja, ou talibã). Essas pessoas acabam se tornado, sem exagero, os "jornalistas" da nova geração!... Por fim, a Web lança novas celebridades, como a cantora e compositora Mallu Magalhães _que se tornou conhecida graças ao site My Space.
Porém, para além da fama, a Rede Mundial de Computadores também redimensionou a própria experiência com a imagem. Você não mais precisa comprar revistas especializadas, nem ir a desfiles para ver meninas vendendo moda e estilo. Com o advento da câmara digital e de sites de páginas pessoais _como os já mensionados Orkut http://www.orkut.com e My Space http://www.myspace.com/brasil _toda uma geração de garotas pode ter sua fase de "modelo" e ter seu "book" pessoal, sem ter de procurar agências, ou fotógrafos profissionais. Aliás, a própria profissão de fotógrafo ganha nova dimensão. Dá-se adeus à sala de luz avermelhada, com fotos de molho na água. A câmera digital, fez de cada pessoa um fotógrafo. Sendo assim, uma única menina pode ser, ao mesmo tempo... modelo, estilista e jornalista. Basta ter vontade e personalidade!....


Marcelo Farias. Ilustração: minha linda amiga Mayara Müller, cheia de charme e estilo, acessando a Web em seu notebook.

2 comentários:

Me Morte disse...

Marcelo meu caro!
Que honra ser citada num assunto tão complexo e inovador! Devo dizer apenas que graças a internet nos escritores, pobres mortais sonhadores, temos enfim a chance de dizer o que pensamos, mostrar nosso talento ou nossa canastrice, seja lá o que for, e conseguir o que todos almejam, leitores. Para quem pensou que fosse FAMA, enganou-se redondamente, isso é para os artistas, nos vulgos seres das letras, almejamos seres pensantes lendo toda a loucura que nos faz perder preciosos minutos de nosso tempo em frente ao PC ou à uma folha de papel.

Marcelo, mais um vez obrigada pela citação de meu nome...Beijão

FláPerez (BláBlá) disse...

A Me é uma superstar (nem sei se é assim que se escreve)!!!
Tenho orgulho de fazer parte do Vale das Sombras.
Jornal, revista, etc, pagou=apareceu...mas na net a gente escolhe mesmo a quem "seguir".
Boa matéria.
bjbj