terça-feira, 28 de abril de 2009

Década



Meu caminho está sobre o sol
Os meus passos estão sobre mim
Meu espelho está sobre um céu
E eu deixo meus versos no chão

Estou caminhando nas sombras
E minha alma povoa em meus rastros
É a noite, ao verter em meus olhos,
Sob as palavras que estão soltas ao léu

Minha ponte está sobre os sonhos
E eu sou um mendigo de mim...
E o destino está preso nas mãos
Sob as costas do vento, então...

Eu me perco nas garras do tempo!
Em meus caminhos deixados pra trás
No espelho quebrado em lembrança
Sob um céu ladeado de trevas...
Entre o verso, perdido em estrelas.

O caminho que se deu um nó,
E a alma se subentende,
Aos meus olhos que só sabem chover,
As palavras do dia...
Por fim...

Meu destino é canoa quebrada,
O eu não existe mais...
As passagens do tempo me enganam
E sou só mais uma criança...

Entre o verso, perdido em estrelas,
Sob as palavras que estão soltas ao léu
Eu sou o espelho quebrado,
Pelos anos que subentendem...

E eu, lembranças na ponte...

2 comentários:

MARCELO FARIAS disse...

"O meu corpo viraria sol! Minha mente viraria... sol! Mas só chove, chove! Chove! Chove!..."

Cada um absorve Kiko Zambianchi à sua maneira, Lugas. A sua é realmente muito boa, como sempre.

Lucas Augustus disse...

Caracas, faz tempo que não escuto essa musica, e se for pensar, tem tudo a ver. Hahahhahaa