sábado, 14 de agosto de 2010

DESENHO























Se desenhasse tua boca
ia direto à língua

que nem Michelangelo
que toca o cadáver
a descobrir o músculo
no tato

e exporia ao mundo
o que não se vê
na corrente sanguinia

que estremece o intocável
ser

ser nua a esfinge
na fissura da lâmina

que nem o dedo de Deus
a dispensar altares
e espalhar as cores
em forma de querubins
me cerceando

o pecado é santo
a língua limpa
a língua
a língua

sou pura demais
e o preço é alto
não falo de amor
não falo de conveniencias
sou toda inconveniencia

e você
acorrentado num pedestal
detentor da própria chave
nenhuma decisão me cabe

ah, se adivinhasses o quanto me custa!


Ivone FS

4 comentários:

MARCELO FARIAS disse...

Perfeita sempre, Ivone!

Trish River disse...

Forte e sedutor!

ivone fs disse...

obrigada , Marcelo!

obrigada Trish River

participei do V Concurso de Poesia do Parlapatões, com este poema. não levei o prêmio, mas amei participar!

abraços

Filipa Teixeira disse...

Que escrita divinal!
Concordo, 'Forte e sedutor', as suas palavras seduzem tanto quanto um olhar, aliás, bem mais, bem mais...
Parabéns(devia ter ganho, com certeza!)!

Cumprimentos, Filipa Teixeira.