segunda-feira, 11 de maio de 2009

"Obra de Arte"



Você sabe desenhar um coração? Então desenha com um giz de cera aqui no meu peito, pode ser? Com giz de cera, pois me queimei feito uma vela esse ano, e acho que essa cor escarlate combinaria comigo... O quê? Giz de cera não “pega” na pele? Tem que pegar! RAM! Eu já fiz coisas mais difíceis, e olha que sou humana demais! Anda logo, me risca logo! (Não interprete de modo errôneo – não me risque da sua vida!) Eu vou fingir que vai sangrar. Perto do coração sempre sangra – não sangra? Faz um tempo que não vejo sangue, mas eu o sinto escorrer, sabe? Aperta mais!!! Não estou sentindo fincar na pele... Como assim não vai dar certo? Me dá isso aqui! Eu mesma desenho.


(...)


Ficou bom? Bem, eu nunca desenhei muito bem... Mas você gostou, não gostou? Ah, não ligue, eu sangro mesmo. E sim, o meu sangue é dessa cor. Deve ser pela demora, ou talvez ele esteja bem curtido aqui dentro. É quase um “tempero”, sabe? Eu deixo o meu sangue em conserva pra... O quê? Não! Hahahaha! Nunca desenhei um coração por ninguém. Me desculpe mesmo por você não ter gostado. Quer que eu desenhe outra coisa? Uma montanha...Ou até outro mundo pra você...! Não! No meu peito não cabe um mundo todo, mal coube esse coração mal desenhado... Você consegue enxergar? Não, não é um urso – apesar de ser tão grande quanto. O que você acha de eu tentar desenhar um em você também? Ah, tudo bem. Entendo... É realmente necessário estar preparado pra isso, não é? Ah, tudo bem. Nos vemos mais tarde então? Que pena... Certo. Até mais, então...


- E agora? Como faço pra apagar?



(Escrito em meados do ano passado.)

3 comentários: