sábado, 6 de fevereiro de 2010

VIAGEM





















Na viagem que eu tive
Os sopranos não sopravam mais
E os tenores
só temiam o silencio
que preenchia a sala

Era tanta ausência,
Tanta falta, tanto quarto,
Tanta cama
A chama se apagando
Em cada olhar, em cada trago
Em cada sopro

E a ventania chamando ora pra leste ora pra oeste
Na viagem que eu tive
Os sopranos só sopravam
E os tenores destemidos
Recitavam aos pardais

Versos curvos
E o silencio não preenchia mais...


Jair Fraga V. Neto & Debora Tieppo

3 comentários:

MARCELO FARIAS disse...

Que viagem!... =))

o lado escuro da face disse...

Eu fiz algumas alterações, depois vc ve lá no bar.abraço

diego-moraes.blogspot.com disse...

Massa...