domingo, 1 de novembro de 2009

PENSANDO O TEMPO























Gostaria que o tempo
fosse como uma corda.
Não como uma cobra
de veneno sutil e lento.


José Ferreira

2 comentários:

MARCELO FARIAS disse...

Gostaria de mais poetas como você, José!...

diego-moraes.blogspot.com disse...

Doido esse poema. certeiro!