quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

ANJO NEGRO - poesia
















Meus olhos se abrem ao nascer do crepúsculo.
Meu primeiro pensamento vai para ti, meu doce anjo negro.
Uma fagulha percorre todos os meus músculos.
Acendendo a chama que clama por este amor tão puro.

Meus lábios rubros anseiam por teus beijos,
Todo meu corpo se inflama de desejo.
Minha pele ainda sente teu toque carinhoso.
Meu peito parece explodir tamanho é meu anseio.

E fico a te esperar sob o céu coalhado de estrelas.
Sonhando acordada, com tua breve chegada.
Sinto-me repleta, totalmente apaixonada.
Tenho ganas de gritar, de correr pela escura estrada.

Onde estás que ainda não chegaste?
Onde o sabor de teus lábios macios?
Onde o calor do sangue escarlate?
Venha logo meu doce amor, não faças desvios.

Não suporto mais a angústia de te esperar.
Vou sair noite afora, vou te procurar.
Entre becos e ruas desertas, em algum lugar hás de estar.
Esta dor aqui dentro só passará, eu sei, quando te encontrar.

Apenas te amo, assim sem pensar.
Não importa quantos séculos ainda tenha de esperar.
Pois sei que tu também me amas ternamente.
E assim será meu anjo negro............. eternamente..............


By Ana Kaya Cristina

3 comentários:

Me Morte disse...

Minha linda poetisa! Lindo poema! Beijos

MARCELO FARIAS disse...

Estamos definitivamente na era das poetisas! E tome erotismo! É a liberação sexual da mulher na literatura.

Ana Kaya disse...

Ai Marcelo, que foto maravilhosa que vc colocou, vou roubar pra mim tb ahahahahah. To virando a maior larápia de figuras eehehhe.
A foto valorizou muito o poema, que modéstia a parte, eu acho lindo tb.
Obrigada pelo carinho e atenção.
Bjs