terça-feira, 18 de março de 2008

PANIS ET CIRCENCIS
















Perca o dedo
que aponta
e o que deplora

o dedo
que ri

o outro que chora

Cômodo

com o dedo
que sobra.



Muryel.

2 comentários:

MARCELO FARIAS disse...

E a lira ainda soa...

Poeta Vagabundo disse...

genial!

mureliano com um toque sutil de leminski