quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

COISAS DOS MEUS CADERNOS DE ANOTAÇÕES TRÔPEGAS























Os cotovelos sobre o balcão do bar.

Palhaço: Teu tio empresta a espingarda?
Domador de leões: Tá no forro da casa do sítio!
Palhaço: Onde?
Domador de leões: Em Sorocaba.

Flanela enxugando mesas.

Garçom: A monga adoeceu?

O garçom pôs a flanela nos ombros e acendeu um cigarro ordinário.

Dono do bar: Porra Eurestes! apaga essa merda!

O garçom pigarreou.

Palhaço: Vê a conta!
Dono do bar: Deixa pra lá!
Palhaço: Que merda é essa seu Perdeneiras?

Seu perdeneiras gaguejou.

Dono do bar: É que minha filha gosta muito do circo.
Garçom: Ouvi dizer que vai fechar!
Dono do bar: sério?
Domador de leões: A monga fugiu com os anões.

Escrito em 12/11/2004, na saída do bar Mac Intosh, no centro de Manaus.


Diego Moraes

3 comentários:

MARCELO FARIAS disse...

Diego, tu é um filho da puta!... No melhor sentido do termo...

diego-moraes.blogspot.com disse...

Grande marcelo,
Arranja uma câmera digital pra gente rodar essa porra...(tô com um monte de mini-roteiros engavetados).

O LEQUE disse...

Este novo livro do Diego vai ser mesmo uma porrada! Mas uma vez me sinto privilegiado de acompanhar todo oseu processo de criação. Ele tem lido para mim constantemente cada texto. É esperar para ver mais esse soco no estômago...