quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

POR QUE DÓI?


















Diga, o que dói
Na menina,
Se é a sina
Que assassina seus conceitos.
Quisera-a comigo
Apertada bem forte
Contra meu peito,
Afagando seus cabelos negros
Que - não nego -São lindos
Sim.

Eu a quis para mim,
E não a queria longe.
Transformei-me
De mundano, a monge.
Mas cada uma daquelas dúvidas
Fizeram nossas viagens
Viúvas
Uma da outra.

Como não lembrar daquela boca...
Abrindo o céu para mim?
Da alma despida,
Do sorriso lindo
Adornado...
Como esquecer,
De ter sido amado
Com toda a força
Da imprudência?

Talvez tenha sido essa a dor,
Essa mesma que dói, dói, dói...
E que corrói
Cada momento em que tento
Entender.

Dói. Eu sei.
Mas
Porquê?


Eduardo Perrone

3 comentários:

MARCELO FARIAS disse...

Perrone... te fode, filho da puta!!!... Ahahaha... Caralho!!!... Que que eu posso dizer, porra?!... Ehehehe...

Rosa Cardoso disse...

Lindo esse

Duda disse...

"Mas cada uma daquelas dúvidas
Fizeram nossas viagens
Viúvas
Uma da outra."

Lindo, lindo, lindo. Mas um probleminha: o porquê, no final, é separado.
Beijos.