quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Pronominadas

não ver-te
é um erro tão gramatical
quanto perder-te.

mas da gramática
cuida aquele que não vive
do coração,
não vive.

eu vivo num mundo que aflora.
passo horas a contar estrelas,
ver a lua,
olhar
o velocímetro e o farol
com o qual viajo.
eles pouco me mostram.
têm lá seus momentos
mas a estrada fica sem lume.

os gramáticos
e os acentos circunflexos.
meu rogar genuflexo.
quem mina mais
ainda é a estrada
pois tu não corres.

volto à próclise
e ela nada me diz
não me contenta
me contunde
como a ausência.
meu mundo faz minha mesma viagem.
estou a ponto de esquecer
a estrada,
pouco iluminada,
não é nada.
o problema é viajar.

quando eu tinha coerência
as placas eram guias.
hoje, tudo isso é apenas entorno sem razão
e eu palpito
mais que o motor violento que me leva ao sabor do acelerar.
tu me fazes não ter coesão
e eu gosto desse
detalhe.

as pessoas dirão que estou louco,
mas a verdade
é que, quando chegarem,
já estarei novamente na estrada, pois só
ela
me faz feliz
quando não estás no banco do passageiro mantendo-me desperto.

sonho em ainda te ter na estrada,
ao meu lado,
dizendo que a viagem assim faz sentido.
mesmo que vaguemos sem rumo
que já é rumo certo quando pegas minha mão.

quinta marcha.
aperto o passo e acelero.
um carro de farol alto passa,
dou sinal,
ele abaixa.

a gramática das placas e a minha gramática
todas inúteis
cerebrais
objetivas.
e o ideal onde está?
faz-me perder o rumo, oh flor do acalanto.
canta-me a canção que o vento
leva.
enxuga o suor tropical de minha fronte
ame-me como te amo.
tudo assim vai se acertar.

ontem quando adormeci
não vi a estrada,
sonhei gramaticalmente certo
pois dar-te-ia mesóclises no futuro.
e tu,
sem querer,
negaste-as, já sendo ênclises.

estrada, colocação pronominal,
estrelas, lua,
gramática.
orações coordenadas desordenam minha alma.
subordinadas relações me subordinam.
oração principal.
a oração principal é conjugar o verbo devido.
quisera-te queria-te quis-te quero-te querer-te-ei querer-te-ia.

2 comentários:

MARCELO FARIAS disse...

Jovem... você é poeta! Sem brincadeira...

jessicah_je disse...

Preciso falar que você escreve maravilhosamente bem?
acho que já disse um milhão de vezes né Zé!
adorei!!
beijos

Jeh