quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

SAMBA DE SÓ























Se procura só beleza
faça-me a gentileza
dos teus olhos desviar.
Esta moldura é só pra agora,
daqui a pouco vai embora
e nada em mim vai te encantar.

Se procura só por bolso,
minha conta é um desgosto,
deixa eu logo te avisar,
meu dinheiro é pros meus sonhos,
na poupança eu não ponho,
tenho a vida pra arriscar.

Se procura só alegria,
Isso é mera utopia,
a tristeza há de chegar
e se ela for tão forte,
se até pensar na morte,
você vai me abandonar.

Mas se quer a minha vida,
meu delírio e fantasia,
pode se aproximar.
Se quiser entrar no samba,
eu aprendo sua ciranda
e me atrevo a te amar.

Mas se quer a minha vida,
sem supôr a despedida,
pode se aconchegar.
Vem com alegria de criança,
porque não vivo de lembrança,
sou capaz de te amar.




Bárbara Leite. Ilustração: Sambistas - J. Carlos.

Um comentário:

marcelo disse...

Você é excelente no sue estilo sofisticado, porém, popular de poesia.